domingo, 31 de março de 2013

História do município

Cidade vista do Bairro Alto do Potengi

Na primeira metade do século passado, na margem esquerda do Rio Potengi, em território pertencente a São Gonçalo do Amarante, existia um povoado por nome “Juremal” que se destacava devido ao seu acentuado comércio, inclusive com feira dominical.

O pequeno lugarejo localizava-se bem próximo da margem do Rio Potengi, correndo sempre o risco de enchentes em épocas de inverno, como a que ocorreu em 1909, quando o povoado foi inundado. Temendo a ameaça das águas, Bento Urbano de Araújo, morador e comerciante daquela localidade, resolveu pedir ao chefe do Juremal o Sr. Avelino Pinheiro, para mudar-se para um local mais afastado do rio. Tendo seu pedido negado, o mesmo foi falar com o Cel. Manoel Maurício Freire, chefe político de Macaíba. Devido a problemas políticos e pessoais entre o chefe político macaibense e Estevam Moura, chefe político de São Gonçalo do Amarante, a resposta foi imediata: “Vamos formar um povoado do lado de Macaíba próximo ao Juremal”.

Foto do século passado mostra aglomeração na então Praça da Matriz, no Centro da cidade.

Apesar da empolgação do Cel. Maurício Freire, Bento Urbano de Araújo não quis tomar uma decisão precipitada, fez uma consulta através de carta ao padre “Cícero do Juazeiro”, de quem era devoto. A carta relatava o acontecimento e sugeria o nome “Liberdade” para o novo povoado. A resposta chegou dias depois aprovando o projeto e sugerindo outro nome. O nome sugerido pelo padre foi “São Paulo”, por ser um cidadão romano de grande bravura e virtudes, iria combinar muito bem com o povoado. Com o consentimento do padre Cícero, Bento Urbano de Araújo resolveu aceitar a decisão do Cel. Maurício Freire.

Decidido, em agosto do ano de 1911, deu início aos trabalhos de edificação do novo povoado de São Paulo, situado à margem direita do Rio Potengi, pertencente ao município de Macaíba.

Praça Monsenhor Expedito

Ao chegar ao novo povoamento, Bento Urbano de Araújo instalou residência, construiu vários armazéns e começou a participar efetivamente do desenvolvimento da localidade, trabalhando na implantação da feira e incentivando seus amigos e antigos vizinhos a também se mudarem para São Paulo.

Foi com a capacidade empreendedora e o estilo animador de Bento Urbano que a população se desenvolveu. Em janeiro de 1912, a tão sonhada e anunciada feira e missa foram realizadas, o sucesso foi tanto que os estoques no comércio local quase se acabaram. No mesmo ano de 1912, a intendência de Macaíba reconheceu o núcleo populacional como povoado de São Paulo. O Decreto 603 de 31 de dezembro de 1938 elevou o povoado à condição de distrito com o nome de São Paulo do Potengi, unindo a religiosidade do povo ao rio que banhava o território.

Núcleo urbano de São Paulo do Potengi visto por imagem de satélite

No dia 30 de dezembro de 1943, através da Lei N° 268; São Paulo do Potengi foi desmembrado de Macaíba, tendo incorporado aos seus domínios parte das terras do município de São Gonçalo do Amarante que, pela mesma Lei, foi extinto.

Hoje é conhecida como a maior e detentora da melhor infraestrutura da região potengi, conhecida daí como "A Capital do Potengi" por possuir grandes empresas, bancos, escolas e faculdades, além de outras instituições de prestação de serviço à toda região.